Colecção de Aguarelas

Da Memória da Universidade

Ir para: navegação, pesquisa
Estudo para a Escola Superior de Farmácia, assinado pelo arquitecto e membros da comissão, Junho de 1920. (Foto: C. Teixeira, Cortesia FF)

Colecção de Aguarelas. Projectos aguarelados do arquitecto Amílcar Pinto para a Escola de Farmácia na antiga Quinta da Torrinha, datadas de 1920.. Tipo: Histórica. Local.: Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa. URL: http://www.ff.ul.pt. Tutela: Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa. Criador: Amílcar da Silva Pinto (1890-1978). Cobertura: Século XX. Construção: 1920. Dimensão:2 desenhos. Assunto: Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa.

Enquadramento institucional e legal

A colecção está localizada na Faculdade de Farmácia (FF), embora não exista qualquer referência à mesma nos seus estatutos (Despacho nº 4646/2009, Diário da República, 2ª série, nº 26, 06-02-2009).

Na UL desde

1920

Nota histórica e descritiva

A Faculdade de Farmácia conserva dois desenhos a aguarela assinados pelo arquitecto Amílcar Marques da Silva Pinto, representando projectos de edifícios para a Escola Superior de Farmácia.

Após a autorização para contracção de um empréstimo para compra dos terrenos outrora pertencentes à Quinta da Torrinha, foi instalada, em Maio de 1919, uma comissão para elaboração do projecto da construção e administração das obras do edifício da Escola Superior de Farmácia. Constituíam-na oito elementos: o Director Rui Teles Palhinha, os professores António Moreira Beato, Manuel Fernandes da Cruz, Eduardo Augusto Pereira Pimenta e Raúl Lúpi Nogueira, o inspector da sanidade escolar Sebastião Cabral da Costa Sacadura e o presidente da Associação de Estudantes Manuel Rodrigues Machado. No entanto, os trabalhos não progrediram.

Em Fevereiro de 1920, nomeou-se uma subcomissão para execução do plano de construção, visivelmente reduzida; era composta por Rui Teles Palhinha, Manuel Rodrigues Machado e arquitecto Amílcar da Silva Pinto. Empreendendo a planificação do projecto, o arquitecto elaborou os dois desenhos que compõem a colecção.

Ambos datam de Junho de 1920, estando assinados por Amílcar Pinto, os membros da subcomissão e alguns professores da Escola. O primeiro desenho está legendado como ‘Escola Superior de Farmácia’, apresentando três pavilhões distintos que se complementam; os dois pavilhões laterais são idênticos, destacando-se o edifício central pela entrada em pórtico semi-circular, suportada por colunas. O segundo desenho, com a inscrição ‘Fachada sobre o Pátio de Honra’, apresenta um único pavilhão, similar aos pavilhões idênticos do outro desenho.

Os estudos evidenciam uma estética arquitectónica de feição académica, com inclusão de telhados de várias águas, chaminés e elementos como colunas e grandes janelões envidraçados, dominando o branco com apontamentos a vermelho e verde. A construção não foi a avante devido a dificuldades financeiras e sucessivas perdas de terreno para a Câmara Municipal de Lisboa, funcionando as aulas por longas décadas na moradia da Quinta (Castelinho (Quinta da Torrinha)).

Relevância

Os desenhos constituem documentos muito preciosos para a história da Faculdade e da sua instalação, permitindo compreender etapas e projectos de construção nos inícios da década de 1920. Atestam a intenção republicana de dotar as Faculdades que criou de instalações adequadas ao ensino então ministrado, bem como o malogro em que caíram no caso lisboeta. Documentam planos de um arquitecto pouco conhecido, que vem sendo alvo de pequenos estudos, representando uma fase de afirmação da sua carreira de projectista. Importa que a Faculdade de Farmácia e a Universidade de Lisboa atentem no material gráfico que detém, tão importante para historiar a sua existência e programar o seu futuro.

Utilização

A colecção não é presentemente utilizada.

Estado do inventário

A colecção não se encontra inventariada.

Documentação

Não se encontrou documentação associada, nem sequer relativa à sua proveniência.

Pessoal

Não existe pessoal directamente afecto à colecção.

Bibliografia

C. Silveira et al, ‘A Quinta da Torrinha e as instalações da Faculdade de Farmácia de Lisboa’, Medicamento, História e Sociedade (1986), ano II, nº 4, pp. 37/1-41/5.



Autor: Ana Mehnert Pascoal

Levantamento do Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa:

Colecção de Aguarelas

Pelo Grupo de Trabalho constituído por Marta Lourenço, Ana Mehnert Pascoal e Catarina Teixeira

Logo-Levantamento-Patrimonio-UL.png
Factos sobre Colecção de AguarelasFeed RDF
CoberturaSéculo XX  +
CriadorAmílcar da Silva Pinto (1890-1978)  +
DenominaçãoColecção de Aguarelas  +
DescriçãoProjectos aguarelados do arquitecto Amílcar Pinto para a Escola de Farmácia na antiga Quinta da Torrinha, datadas de 1920.
Dimensão2 desenhos  +
ImagemAguarelas Farmácia01.JPG  +e Aguarelas Farmácia02.JPG  +
Localizado emFaculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa  +
Tem assuntoPatrimónio Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa  +
Tipo de colecçãoHistórica  +
Tutela actualFaculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa  +
URLhttp://www.ff.ul.pt  +
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções
Navegação
Ferramentas