Colecção de Atlas

Da Memória da Universidade

Ir para: navegação, pesquisa
Pormenor do 'Novo Atlas Escolar Português', histórico e geográfico, João Soares, 10.ª ed. act., 1965 (Fotos A. Pascoal, cortesia Mapoteca_IGOT))

Colecção de Atlas (séc. XIX/XX). Tipo: Colecção de ensino. Local.: Mapoteca do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território. URL: http://www.igot.ul.pt / http://www.fl.ul.pt/mapoteca. Cobertura: Séc. XIX-XX. Dimensão:c. 300 atlas. Assunto: Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa.

Enquadramento institucional e legal

A colecção está localizada na Mapoteca do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território (IGOT), embora não exista qualquer referência à mesma nos seus estatutos (Diário da República, 2ª série, nº 204, 21-9-2009). A Mapoteca é uma das secções do Centro de Estudos Geográficos (CEG) e possui regulamento próprio.

Na UL desde

1943

Nota Descritiva e Histórica

A Colecção de Atlas encontra-se acondicionada na área útil da Mapoteca e destinada à consulta pública das obras. A colecção é composta por c.300 Atlas, constituída por volumes encadernados ou em caixa, alguns de grande dimensão; mais raramente são constituídos por folhas soltas, guardadas noutros armários. Abrange vários tipos de atlas, tanto mundiais como nacionais, regionais ou locais, incluindo atlas gerais e temáticos, actuais, antigos ou históricos.

Relevância

Esta colecção tem enorme relevância, tanto para o ensino como para a investigação da História da Cartografia e da Geografia ou para o estudo de aspectos geográficos actuais. Aí se incluem, entre muitos outros, os Portugaliae Monumenta Cartographica, dirigidos por Armando Cortesão e Avelino Teixeira da Mota (1960 e reedição de 1987), as duas edições do Atlas de Portugal de A. de Amorim Girão (1941, 1958), o atlas do Visconde Santarém (editado a partir de 1849), as Cartas elementares para uso das escolas de Bernardino Barros Gomes (1878), bem como os atlas nacionais dos Estados Unidos da América, de França ou da Grécia e diversos atlas escolares.

Utilização

São frequentemente utilizados pelos estudantes, sobretudo os atlas mundiais mais recentes ou sobre certos temas e, em particular, o Atlas do Ambiente (1975-). O acesso às obras mais antigas ou valiosas é, no geral, restringido. A estes atlas recorrem sobretudo os historiadores ou os investigadores da área da História da Cartografia e da Geografia.

Estado do inventário

Apesar da integração da Mapoteca no Sibul desde 2005, não existe ainda tratamento documental desta colecção.

Documentação

Não se registou documentação associada à colecção.

Pessoal

Na Mapoteca, existe apenas uma técnica com Mestrado em bibliotecas e documentação(Sandra Fernandes).

Bibliografia

1. M.H.Dias, 'As Mapotecas Portuguesas e a Divulgação do Património Cartográfico Nacional. Algumas Reflexões', Cartografia e Cadastro (1996), nº 5, pp 43-50.

2. Projecto de Desenvolvimento Científico e Pedagógico do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território (IGOT-UL), baseado no Programa de Instalação do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Conselho Geral da Universidade em 7 de Novembro de 2008, in: http://www.igot.ul.pt/portal/page_pageid=407,1069775&_dad=portal&_schema=PORTAL.



Autor: Catarina Teixeira com a colaboração de Sandra Fernandes (Mapoteca/IGOT)


Levantamento do Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa:

Colecção de Atlas

Pelo Grupo de Trabalho constituído por Marta Lourenço, Ana Mehnert Pascoal e Catarina Teixeira

Logo-Levantamento-Patrimonio-UL.png
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções
Navegação
Ferramentas