Fundo Antigo de Mapas

Da Memória da Universidade

Ir para: navegação, pesquisa
PORTUGAL. Direcção dos Trabalhos Geodésicos e Topográficos, FOLQUE, Filipe. [Lisboa; Sintra]. Edição [Ed. 1]. Escala 1:100 000. [Lisboa: D.T.G.T.], 1856 ([Lisboa]: Depósito dos Trabalhos Geodésicos do Reino). ([Carta corográfica de] Portugal 1:100 000; fl. 23). (Imagem: Cortesia Mapoteca_IGOT)

Fundo Antigo de Mapas, ou Fundo de mapas antigos. Tipo: Cartográfica. Local.: Mapoteca do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território. URL: http://www.fl.ul.pt/mapoteca. Tutela: Centro de Estudos Geográficos do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa. Cobertura: Século XIX. Dimensão:c. 5000 mapas. Assunto: Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa.

Enquadramento institucional e legal

A colecção está localizada na Mapoteca do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território (IGOT), embora não exista qualquer referência à mesma nos seus estatutos (Diário da República, 2ª série, nº 204, 21-9-2009). A Mapoteca é uma das secções do Centro de Estudos Geográficos (CEG) e possui regulamento próprio.

Nota histórica e descritiva

A Mapoteca, surgida em 1943 a par da instituição do Centro de Estudos Geográficos (CEG) e situada no edifício da Faculdade de Letras desde 1958, possui no seu espólio um fundo rico de mapas antigos, destinado a prestar apoio à investigação e ao ensino.

Destacam-se neste fundo algumas séries cartográficas ou mapas avulsos de Portugal, onde se incluem a Carta dos arredores de Lisboa (1:20 000), a antiga Carta corográfica dirigida por Filipe Folque (1:100 000), a Carta agrícola e a Carta agrícolo-mineral de Gerardo Pery (1:50 000), a Carta itinerária do Corpo do Estado Maior (1:250 000) ou ainda as primeiras cartas geológicas detalhadas de Portugal, a Carta topográfica militar do terreno da península de Setúbal de José Maria das Neves Costa (4 fls., impresso, 1861), etc. Este fundo integra ainda a importante colecção de mapas das antigas colónias portuguesas, editados pela Comissão de Cartografia (1883-1936) e pelos organismos que lhe sucederam.

O fundo comporta sobretudo mapas produzidos no século XIX, bem como alguns de inícios do século XX. Predominam, naturalmente, os mapas representando Portugal ou as Regiões Autónomas e as ex-colónias portuguesas, tanto topográficos, como hidrográficos ou temáticos, de escalas muito variadas.

A completar o fundo antigo, existem ainda alguns mapas de outros países ou à escala mundial e regional.

Relevância

A colecção de mapas antigos pertencente à Mapoteca do CEG constitui, em conjunto com o fundo dos mapas mais modernos, um acervo único no contexto das universidades portuguesas, pela sua abrangência e por incluir exemplares pouco frequentes ou, mesmo, raros. Trata-se de um fundo rico e diversificado, que importa divulgar junto da comunidade académica.

Utilização

Este fundo destina-se sobretudo a servir de apoio à investigação e ao ensino mais avançado, sendo o seu acesso reservado.

Estado do inventário

A totalidade da colecção encontra-se inventariada em fichas manuais e parte está a ser objecto de digitalização e tratamento documental ao abrigo do projecto CartAfrica, sem qualquer financiamento externo, e carece, por isso, de apoio.

Documentação

Não se encontrou documentação associada, nem sequer relativa à sua proveniência.

Pessoal

Sandra Cristina Neves Fernandes (Técnica Superior da Mapoteca)

Observações

A Mapoteca possui, ainda, um conjunto de 4 pedras litográficas, destacando-se duas pela sua importância, relativas aos seguintes mapas existentes no CEG:

- Carta topographica militar do terreno da Peninsula de Setubal/construida por ordem do Ill.mo e Ex.mo Snr. Marechal e Command.te em Chefe do Exercito, Marquez de Campo Maior, pelo Major do Real Corpo de Engenheiros Joze Maria das Neves Costa; [colab.] Marino Miguel Franzini, Luiz Antonio Mello, João Damasceno da Cunha [e] Francisco d'Assis Blanc; copiada no Real Archivo Militar pelos Capitaes do Real Corpo de Engenheiros Joze Joaquim Freire, e Manoel Tavares da Fonseca; gravada por Barreto, Dinne, Palha, Quadros, Rebello e Santos durante os primeiros tempos do seu tirocínio. - Escala [ca. 1:30 000], 3000 Braças por 1 Palmo = [21,8 0 cm]. - [Lisboa: Direcção-Geral dos Trabalhos Geodésicos], 1861. - 1 mapa em 4 folhas: gravura, p&b; 70 x 93 cm cada folha – A pedra litográfica que existe na Mapoteca do CEG corresponde à folha 4 desta carta;

- Carta geographica de Portugal: levantada em 1860 a 1865 sob a direcção do Conselheiro F. Folque, Gen.al de Brig.da e Director do Instituto Geographico pelos Officiaes do Exercito A. J. Pery, C. A. da Costa e G. A. Pery; Barreto, Palha e Santos gr. - Escala 1:500 000. [Lisboa]: Lith. do Instituto Geographico, [1865]. - 1 mapa: gravura, p&b ; 122 x 74 cm.

Bibliografia

M. H. Dias, ‘As vicissitudes das séries topográficas e temáticas: um retrato da Cartografia portuguesa contemporânea’, Finisterra: Revista Portuguesa de Geografia (1995), Vol. XXX, 59-60, pp. 57-76.

Idem, ‘Os primórdios da moderna Cartografia militar em Portugal: uma história ainda por contar’, Revista da Faculdade de Letras (1999), 24, pp. 49-80.

Idem, ‘Marcas portuguesas na moderna Cartografia cabo verdiana’, Finisterra: Revista Portuguesa de Geografia (1999), Vol. XXXIV, 67-68, pp. 95-109.



Autor: Ana Mehnert Pascoal, com a colaboração de Sandra Fernandes (Mapoteca, IGOT)

Levantamento do Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa:

Fundo Antigo de Mapas

Pelo Grupo de Trabalho constituído por Marta Lourenço, Ana Mehnert Pascoal e Catarina Teixeira

Logo-Levantamento-Patrimonio-UL.png
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções
Navegação
Ferramentas