Fundo de Mapas de Campo

Da Memória da Universidade

Ir para: navegação, pesquisa
Exemplar de campo da folha de Oeiras (ed. 3, 1970) da Carta Militar de Portugal 1:25 000. (Foto: A. Pascoal, Cortesia Mapoteca_IGOT)

Fundo de Mapas de Campo. Tipo: Cartográfica. Local.: Mapoteca do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território. URL: http://www.fl.ul.pt/mapoteca. Tutela: Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa. Origem: Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa. Cobertura: Séc. XX. Dimensão:c. 1000 mapas. Assunto: Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa.

Enquadramento institucional e legal

A colecção está localizada na Mapoteca do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território (IGOT), embora não exista qualquer referência à mesma nos seus estatutos (Diário da República, 2ª série, nº 204, 21-9-2009). A Mapoteca é uma das secções do Centro de Estudos Geográficos (CEG) e possui regulamento próprio.

Na UL desde

1943.

Nota histórica e descritiva

A Mapoteca, surgida em 1943 a par da instituição do Centro de Estudos Geográficos (CEG) e situada no edifício da Faculdade de Letras desde 1958, possui no seu espólio uma colecção de mapas de campo, feitos até há poucos anos nas suas instalações, para serem utilizados nos levantamentos no terreno levados a cabo pelos seus professores e investigadores.

A particularidade desta colecção, ainda hoje utilizada, está na transformação necessária para que um mapa em formato normal, frequentemente de grandes dimensões, se tornasse mais fácil de transportar e manusear no campo, sendo para isso cortado, tendo em conta a forma como seria posteriormente dobrado, e colado em tela para aumentar a sua resistência à utilização, muitas vezes em situações climáticas adversas, nos trabalhos de campo.

A colecção é constituída por c. 1000 mapas, onde se incluem apenas mapas topográficos e temáticos em diferentes escalas de Portugal Continental e Ilhas datados do séc. XX, pois há mais de uma década que, por falta de recursos técnicos, deixou de se proceder á elaboração de mapas de campo.

Relevância

Este fundo testemunha a actividade do CEG e dos seus investigadores. É uma colecção de características particulares pois, apesar de ser possível atribuir-lhe já hoje um certo valor histórico, continua ainda a ser utilizada com alguma frequência nos trabalhos de campo o que demonstra que, apesar da grande evolução das tecnologias, nomeadamente no campo da cartografia digital georreferenciada, os mapas de campo não perderam, ainda, totalmente as características que fizeram deles ao longo de várias décadas importantes instrumentos de apoio ao ensino e à investigação.

Utilização

O fundo de mapas de campo destina-se a prestar apoio ao ensino e à investigação e pelas suas características são usados, essencialmente, pelos professores e investigadores do CEG e do IGOT e também de alguns departamentos da FLUL como o de História e Arqueologia.

Estado do inventário

Os mapas de campo encontram-se disponíveis no SIBUL, integrados nos registos das Séries Cartográficas a que pertencem.

Documentação

Não se encontrou documentação associada, nem sequer relativa à sua proveniência.

Pessoal

Sandra Cristina Neves Fernandes, Técnica Superior.

Bibliografia

Nada a acrescentar.



Autor: Ana Mehnert Pascoal, com a colaboração de Sandra Neves Fernandes (Mapoteca)

Levantamento do Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa:

Fundo de Mapas de Campo

Pelo Grupo de Trabalho constituído por Marta Lourenço, Ana Mehnert Pascoal e Catarina Teixeira

Logo-Levantamento-Patrimonio-UL.png
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções
Navegação
Ferramentas