Arquivo Histórico do IGIDL (séc. XIX-XX)

Da Memória da Universidade

Ir para: navegação, pesquisa
Pormenor de documentos existentes no Arquivo Histórico do IGIDL. (Foto: M. Lourenço, Cortesia IGIDL)

Arquivo Histórico do IGIDL (séc. XIX-XX). Tipo: Arquivo Científico, Histórico e Institucional. Local.: Instituto Geofísico do Infante D. Luís. URL: http://www.igidl.ul.pt/. Tutela: Instituto Geofísico do Infante D. Luís. Cobertura: Séculos XIX-XX. Dimensão:c. 500 volumes e maços; total de c. 100 mil documentos. Assunto: Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa.

Enquadramento institucional e legal

O IGIDL tem estatuto próprio (DR nº 68, II série, 20 de Março de 2004) onde é referido o Serviço de Biblioteca e Documentação (artigos 15º a 18º).

Na UL desde

1911.

Nota descritiva e histórica

Contém a documentação institucional – correspondência institucional e administrativa nacional e estrangeira (desde 1864), documentos de gestão orçamental, fotografias e negativos, plantas arquitectónicas e eléctricas, escalas de serviço, manuais dos aparelhos e das observações meteorológicas, aparelhos meteorológicos e sismológicos, etc. – relativa à história do IGIDL desde a sua fundação em 1853 como Observatório Meteorológico do Infante D. Luís (Escola Politécnica). O Arquivo contém igualmente registos meteorológicos portugueses e das ex-colónias (desde 1854), incluindo dados manuscritos pelos próprios observadores e sismogramas (os mais antigos datados de 1925). A série de registos meteorológicos é a mais antiga do país. O Arquivo contém igualmente o Espólio de José Pinto Peixoto, que inclui apontamentos, cartas, notas de aulas, etc.

Relevância

Para além da importância relativa à história do Instituto Geofísico, o Arquivo é incontornável para a história da ciência, em particular para a história da meteorologia, sismologia e geofísica em Portugal. As séries de dados são muito relevantes para os estudos meteorológicos e sismológicos actuais. O Arquivo é igualmente relevante como fonte para o estudo da colecção de instrumentos do IGIDL (parte encontra-se no Museu de Ciência e outra parte, mais pequena, no próprio IGIDL).

Utilização

O Arquivo é utilizado por estudantes de pós-graduação em história da ciência da UL e de outras universidades portuguesas (mestrado e doutoramento).

Estado do inventário

O Arquivo não se encontra organizado ou catalogado. À medida que vão sendo solicitadas pesquisas pelos investigadores, os documentos vão sendo localizados, inventariados e disponibilizados online (SIBUL). De momento isso verifica-se maioritariamente com o fundo bibliográfico histórico (correspondência, manuais, obras publicadas pelo Instituto, etc.), estando inventariados cerca de 10% do espólio total.

Acessibilidade

O Arquivo encontra-se acessível a investigadores mediante marcação prévia. Porém, como não se encontra organizado, tal implica que a única funcionária procure e seleccione previamente a documentação, tarefa que se revela algo morosa.

Pessoal

1 funcionária do quadro para a Biblioteca e Arquivo Histórico; formação em Ciências Documentais (BAD), especialização Biblioteca e Documentação.

Observações

Quer os dados meteorológicos – de 1856 a 1999 (projecto SIGN), quer parte dos sismológicos – de 1943 a 1983 (programa EUROSEISMOS), estão a ser digitalizados para depois serem disponibilizados a toda comunidade científica.

Bibliografia

Nada a mencionar.


Autor: Cristina Domingues (IGIDL) [2007]

Levantamento do Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa:

Arquivo Histórico do IGIDL (séc. XIX-XX)

Pelo Grupo de Trabalho constituído por Marta Lourenço, Ana Mehnert Pascoal e Catarina Teixeira

Logo-Levantamento-Patrimonio-UL.png
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções
Navegação
Ferramentas