Arquivo Histórico do Observatório Astronómico de Lisboa (séc. XIX e XX)

Da Memória da Universidade

Ir para: navegação, pesquisa
Foto do Eclipse Total Solar de 29 de Maio de 1919 (Ilha do Príncipe), Arquivo OAL (Cortesia OAL).

Arquivo Histórico do Observatório Astronómico de Lisboa (séc. XIX e XX). Tipo: Arquivo Histórico-Institucional e Científico. URL: http://www.oal.ul.pt/. Tutela: Observatório Astronómico de Lisboa. Cobertura: Séculos XIX e XX. Dimensão:c. 25 metros (dimensão linear). Assunto: Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa.

Enquadramento institucional e legal

Na UL desde 1995, o OAL possui Regulamento próprio e a preservação, estudo e divulgação do seu património estão consignados no artigo 2º.

Nota Descritiva e Histórica

O Arquivo Histórico do OAL compreende documentação manuscrita produzida desde a fundação da instituição, processo desencadeado cerca de 1850, até 1992, data dos últimos registos de trabalhos observacionais efectuados com os equipamentos do Observatório. Presidiram à organização e inventariação do fundo as seguintes categorias, que reflectem os domínios principais do seu conteúdo: Fundação e Organização, Trabalhos de Astronomia e Afins, Instrumentação, Correspondência, Documentos Administrativos, Fotografias/Imagens, Publicações (Originais e Provas), e Documentos Diversos, de modo a incluir itens ou núcleos não abrangidos pelas categorias anteriores. É de referir que o OAL possui ainda um arquivo de secretaria que cobre o período de 1905 até à actualidade, pelo que a categoria Documentos Administrativos inclui sobretudo documentação anterior a essa data.

Relevância

A fundação e organização do OAL encontram-se amplamente documentadas. Este processo envolveu a troca de correspondência com prestigiados astrónomos estrangeiros de meados do séc. XIX, tais como o Astronomer Royal inglês George Biddel Airy (Observatório de Greenwich), F. G. Wilhelm Struve (Observatório de Pulkovo) e Hervé Faye (Observatório de Paris). O mesmo núcleo de documentação inclui correspondência com reputadas casas de instrumentação científica da época, como a A. & G. Repsold de Hamburgo. No que respeita a instrumentação, o fundo inclui documentação imprescindível a uma compreensão profunda do acervo de instrumentos científicos do OAL, fundamental para quaisquer operações de beneficiação museológica que venham a ser concretizadas. No que se refere a documentação directamente relacionada com a actividade científica do Observatório, destacam-se os registos observacionais e cálculos efectuados no âmbito de campanhas internacionais como o programa de determinação da paralaxe solar por meio da observação de Eros (1900-1901), que valeu a atribuição do Prémio Valz da Academia das Ciências de Paris a Campos Rodrigues (então director do OAL) em 1904. São também de referir os registos de observações diárias de tempo e documentação relativa à transmissão da hora legal, fundamental para a história dos regimes e serviços horários em Portugal. No domínio iconográfico, apesar de a fotografia astronómica não ter sido uma vertente particularmente explorada no OAL, o fundo compreende várias fotografias de instrumentos, edifícios e pessoas associados à história da instituição. Merecem ainda especial destaque as fotografias do eclipse total do Sol de 29 de Maio de 1919, obtidas na ilha do Príncipe no âmbito de uma expedição liderada pelo astrónomo britânico Arthur Eddington, que foi essencial para a verificação empírica da teoria da relatividade geral de Einstein, e para cuja logística o OAL colaborou, estando este processo igualmente documentado no fundo.

Utilização

A título de exemplo, o Arquivo deu origem a duas teses de mestrado recentes e outras duas encontram-se em curso (da Universidade de Lisboa). O Arquivo foi igualmente consultado no último ano por vários investigadores/historiadores da astronomia nacionais e estrangeiros (França, EUA). Existe um projecto de investigação da FCT sobre o Observatório que tem utilizado substancialmente o Arquivo como fonte.

Estado do inventário

O arquivo foi recentemente inventariado. O catálogo encontra-se em suporte digital (CDROM) e não está acessivel online.

Acessibilidade

O Arquivo é fisicamente acessível no local. Destina-se sobretudo a estudantes de pós-graduação e investigadores.

Pessoal

1 funcionária com contrato a prazo (3 anos) para a Biblioteca e Arquivo Histórico. Formação em BAD, especialização Bibliotecas.

Bibliografia

Guia do Fundo Documental Histórico do Observatório Astronómico de Lisboa, OAL, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Dezembro de 2006 (documento interno não publicado).



Autor: Marta C. Lourenço, com a colaboração de Halima Naimova (OAL) [2007]

Levantamento do Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa:

Arquivo Histórico do Observatório Astronómico de Lisboa (séc. XIX e XX)

Pelo Grupo de Trabalho constituído por Marta Lourenço, Ana Mehnert Pascoal e Catarina Teixeira

Logo-Levantamento-Patrimonio-UL.png
Factos sobre Arquivo Histórico do Observatório Astronómico de Lisboa (séc. XIX e XX)Feed RDF
CoberturaSéculos XIX e XX  +
DenominaçãoArquivo Histórico do Observatório Astronómico de Lisboa (séc. XIX e XX)  +
Dimensãoc. 25 metros (dimensão linear)  +
ImagemOAL003.jpg  +
Tem assuntoPatrimónio Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa  +
Tipo de colecçãoArquivo Histórico-Institucional e Científico  +
Tutela actualObservatório Astronómico de Lisboa  +
URLhttp://www.oal.ul.pt/  +
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções
Navegação
Ferramentas