Colecção de Antropologia ‘Ferraz de Macedo’ (séc. XIX)

Da Memória da Universidade

Ir para: navegação, pesquisa
Colecção de Antropologia ‘Ferraz de Macedo’, séc. XIX (Foto: M. Lourenço, Cortesia Museu Bocage/MNHN)

Colecção de Antropologia ‘Ferraz de Macedo’ (séc. XIX), ou Colecção de Antropologia ‘Ferraz de Macedo’ (séc. XIX) do MNHN. Local.: Museu Nacional de História Natural. URL: http://www.mnhnc.ul.pt/portal/page?_pageid=418,1391491&_dad=portal&_schema=PORTAL. Tutela: Departamento de Zoologia e Antropologia/Museu Bocage do Museu Nacional de História Natural. Cobertura: Séc. XIX. Dimensão:33 crânios humanos identificados (e outros elementos pós-cranianos). Assunto: Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa.

Enquadramento institucional e legal

A colecção é propriedade do Museu Nacional de História Natural (MNHN). O MNHN é referido nos Estatutos da Universidade de Lisboa (Despacho Normativo nº 144/92) e tem estatuto próprio em vigor (Despacho nº 11002/2003). As colecções não são explicitamente mencionadas no Estatuto.

Na UL desde

1911 (e no Museu desde 1907).

Nota descritiva e histórica

A colecção é o que resta do acervo original de antropologia do Museu Bocage, reunido por Francisco Ferraz de Macedo (1845-1907) entre 1882 e 1889 e constituída por cerca de 1000 crânios e 200 esqueletos completos identificados. No século XIX, esta foi a primeira colecção do género a ser constituída em Portugal e uma das primeiras da Europa.

Relevância

A relevância da colecção é sobretudo histórica, mas também científica dado que sobreviveu ao incêndio o livro de medidas craniométricas elaborado por Ferraz de Macedo, que se encontra no Museu Bocage (MNHN).

Utilização

Desde o incêndio, a colecção não foi objecto de estudo, apesar de algum interesse recente nesse sentido. Tem servido igualmente de modelo ilustrativo em exposições.

Estado do inventário

Os inventários que existem são o livro de medidas craniométricas elaborado por Ferraz de Macedo no séc. XIX e um inventário em papel elaborado imediatamente antes do incêndio.

Documentação

Todos os espécimens da colecção possuem documentação e informação associada.

Pessoal

Actualmente não existe ninguém afecto à colecção.

Bibliografia

Cardoso H. in press. Contribution to the History of Portuguese Physical Anthropology: The Bocage Museum (National Museum of Natural History, Lisbon, Portugal) and its Identified Human Skeletal Collections. Publicações Avulsas do Museu Bocage, Lisboa.

Cardoso H. 2006. Elementos para a História da Antropologia Biológica em Portugal: O Contributo do Museu Bocage (Museu Nacional de História Natural, Lisboa). Trabalhos de Antropologia e Etnologia 46: 47-66.

Ferreira A. 1899. Cranios Portuguêses: Da Influência da Idade na Capacidade do Cranio. O Instituto 46: 917-923.

Ferreira A. 1900a. Cranios Portuguêses: Variações Sexuaes da Capacidade. O Instituto 47: 85-95.

Ferreira A. 1900b. Cranios Portuguêses: Variações Ethnicas da Capacidade. O Instituto 47: 337-346.

Ferreira A. 1915. Note sur Deux Crânes Métopiques de la Collection Ferraz de Macedo. Bulletin de la Société Portugaise des Sciences Naturelles 7: 1-4.

Ferreira A. 1920. Sobre o Eurygnatismo de alguns Cranios do Minho da Colecção Ferraz de Macedo. Separata do Boletim da Sociedade de Geografia de Lisboa 12: 8p.

Ferreira J, Costa F, Bacelar A. 1922. Sôbre o Índice Condiliano como Determinante Sexual do Crânio. Trabalhos da Sociedade Portuguêsa de Antropologia e Etnologia 1(4): 221-228.

Lopes L. 1983. Periodonty in a Nineteen Century Lisbon Population. In: Actas del III Congreso de Antropologia Biológica de España. Santiago de Compostela. Pp. 775-782.

Macedo F. 1887. Quadros Anthropologicos. In: Antiguidades Monumentaes do Algarve. Vol II. Lisboa. Pp. 492-494.

Macedo F. 1888. Tableau des Dégrés de Complication et de Soudure de la Suture Sagitalle, sur 1000 Crânes Portugais Contemporains. In: Dictionaire des Sciences Anthropologiques. Vol. II. Paris. Pp. 1031.

Macedo F. 1900a. Elementos Elucidativos sobre a Relação dos Índices Cephalicos e da Estatura com a Capacidade Craneana. O Instituto 47: 552-566.

Masset C. 1982. Estimation de l’Âge au Décès par les Sutures Crâniennes. Tese de Doutoramento. Université Paris VII, Paris.

Masset C. 1986. Age Estimation on the Basis of Cranial Sutures. In: Iscan, M. Y. (ed.). Age Markers in the Human Skeleton. Charles C. Thomas, Sprinfield. Pp. 71-103.

Sueiro M. 1926. Nota sobre a Frequência de Algumas Variações do Ráquis Humano. Arquivo de Anatomia e Antropologia 10: 237-250.

Sueiro M. 1930. Note sur la Basalité du Sacrum chez les Portugais. Arquivo de Anatomia e Antropologia 13: 586-589.

Sueiro M. 1945. Fenozigia e Criptozigia: Sua Importância Antropológica. Arquivos do Museu Bocage 16: 137-141.

Sueiro M, Fernandes A. 1936-37. O Índice Cnémico nas Tíbias dos Indivíduos Novos. Arquivo de Anatomia e Antropologia 18: 459-473.

Sueiro M, Fernandes A. 1948-49. Sobre a Significação Antropológica do Índice Cnémico da Tíbia. Arquivo de Anatomia e Antropologia 26: 227-253.

Sueiro M, Vilela H. 1943. Estudo do Prognatismo em Cabeças Ósseas de Portugueses Adultos do Século XIX. Arquivos do Museu Bocage 14: 11-24.

Sueiro M, Vilela H. 1945. Sobre of Prognatismo em Cabeças Ósseas Humanas Desdentadas. Arquivos do Museu Bocage 16: 119-128.


Autor: Hugo Cardoso (MNHN) e Graça Ramalhinho (MNHN) [2007]


Levantamento do Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa:

Colecção de Antropologia ‘Ferraz de Macedo’ (séc. XIX)

Pelo Grupo de Trabalho constituído por Marta Lourenço, Ana Mehnert Pascoal e Catarina Teixeira

Logo-Levantamento-Patrimonio-UL.png
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções
Navegação
Ferramentas