Colecção de Mamíferos ‘Museu Bocage’

Da Memória da Universidade

Ir para: navegação, pesquisa
Alguns exemplares da colecção de mamíferos. (Foto: G. Ramalhinho, Cortesia MNHN)

Colecção de Mamíferos ‘Museu Bocage’, ou Colecção de Mamíferos ‘Museu Bocage’ do MNHN. Local.: Museu Nacional de História Natural. URL: http://www.mnhnc.ul.pt/portal/page?_pageid=418,1391529&_dad=portal&_schema=PORTAL. Tutela: Museu Nacional de História Natural. Cobertura: Pós-1978. Dimensão:6243 espécies conservadas em via seca (peles e crânios) e húmida (etanol 70º). Assunto: Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa.

Enquadramento institucional e legal

A colecção é propriedade do Museu Nacional de História Natural (MNHN). O MNHN é referido nos Estatutos da Universidade de Lisboa (Despacho Normativo nº 144/92) e tem estatuto próprio em vigor (Despacho nº 11002/2003). As colecções não são explicitamente mencionadas no Estatuto.

Na UL desde

Desde a data do início da sua constituição, em 1978.

Nota Descritiva e Histórica

Esta colecção possui representantes de 30 famílias de mamíferos provenientes de diversas localidades de Portugal e outros países Europeus. A actual colecção foi iniciada após o incêndio de 1978 que destruiu na íntegra a anterior colecção de mamalogia do Museu Bocage. A colecção destina-se à investigação, ensino e exposição.

Relevância

A relevância da colecção reside no facto de ser uma colecção do sul da Europa, constituída maioritariamente por exemplares provenientes da Península Ibérica e como tal procurada para estudos de filogeografia, uma vez que as penínsulas meridionais constituíram importantes refúgios durante as glaciações para muitos mamíferos. É, igualmente, importante devido a endemismos ibéricos donde podemos destacar Galemys pyrenaicus e Microtus cabrera. Como todas as colecções localizadas em museus de história natural, a colecção de mamíferos constitui um fiel repositório da diversidade biológica, permitindo perspectivar fenómenos de expansão, regressão e extinção de espécies, que decorreram nas últimas décadas.

Utilização

A colecção é objecto de estudo por parte de investigadores nacionais, nomeadamente de alunos de doutoramento e pós-doutoramento, mas também internacionais devido ao facto de ser constituída, fundamentalmente, por exemplares provenientes da Península Ibérica que constituiu, para muitas espécies, um importante refúgio durante as glaciações do Pleistocénico. Os cetáceos são particularmente procurados para estudos de investigação. A colecção integra, ainda, exemplares naturalizados destinados à divulgação científica, através de exibições permanentes ou temporárias.

Estado do inventário

A colecção encontra-se inventariada e informatizada.

Documentação

Como em qualquer colecção científica, a documentação é de primordial importância senão o espécimen tem reduzido valor. Todos os espécimens da colecção de mamíferos possuem proveniência bem determinada e informação associada.

Pessoal

Curador convidado: Graça Ramalhinho, colaboradora, doutoramento; Curadores-Adjuntos: Cristiane Bastos-Silveira, bolseira pós-doutoramento; Joaquim Tapisso, estudante de doutoramento.

Bibliografia

Nada a acrescentar.


Autor: Graça Ramalhinho (MNHN) [2007; actualizada em 2010]


Levantamento do Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa:

Colecção de Mamíferos ‘Museu Bocage’

Pelo Grupo de Trabalho constituído por Marta Lourenço, Ana Mehnert Pascoal e Catarina Teixeira

Logo-Levantamento-Patrimonio-UL.png
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções
Navegação
Ferramentas