Edíficio dos Herbários

Da Memória da Universidade

Ir para: navegação, pesquisa
Edifício dos Herbários, no interior do Jardim Botânico, zona da Classe (foto: M. Lourenço, cortesia JB/MNHN)

Edíficio dos Herbários. Local.: Jardim Botânico/MNHN. Coord.: 38° 43' 6" N, 9° 8' 56" OLatitude: 38.718319
Longitude: -9.148867
. Tutela: Departamento de Botânica do Museu Nacional de História Natural. Arquitecto/Autor: Adelino Nunes (1903-1948). Constr.: Anos 1930. Página Web: http://www.mnhnc.ul.pt. Assunto: Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa.

Fotografias
Vídeos
Wikipédia
Câmaras Web
A carregar o mapa...

Enquadramento institucional e legal

O Museu Nacional de História Natural é referido nos recentes estatutos da Universidade de Lisboa (2008), no artigo 3º do Anexo, como Unidade da Universidade de Lisboa mas ainda não sofreu revisão estatutária. O Museu Nacional de História de Natural é referido nos estatutos da Universidade de Lisboa (Despacho normativo nº 144/92). O Edifício dos Herbários do Jardim Botânico pertence à Universidade de Lisboa desde que foi construído, mas não é explicitamente referido nos Estatutos do Museu Nacional de História Natural (Despacho nº 11002/2003), embora se mencione o Departamento de Botânica do Museu (que coincide com o Jardim).

Na UL desde

Anos 1930.

Nota Histórica

Constando de três pisos e um terraço, o edifício foi inicialmente projectado para a instalação dos Herbários do Jardim Botânico e para os anexos do Instituto Botânico. O tempo era já o da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Relevância

Exemplar notável do modernismo português, quer o exterior quer o interior do edifício apresentam uma notável pureza de formas e rigor do desenho. Encontram-se praticamente inalterados na traça original. Adelino Nunes, arquitecto de vanguarda da época (autor, entre outros dos Correios do Estoril, em 1942), propôs um conceito avançado, cuja importância se torna acrescida pelo facto de inúmeros edifícios do modernismo europeu terem sido destruídos ou significativamente alterados nas últimas duas décadas.

Utilização

Ao longo de quase 80 anos de vida, o edifício teve múltiplas utilizações – para além dos herbários de plantas com flor (fanerogamia), albergou salas de aulas, gabinetes e, mais recentemente, sala de exposições temporárias ou de longa duração. Actualmente, a tendência parece ser concentrar todos os herbários do Jardim Botânico (MNHN) naquele edifício, dotando-os de infrastruturas de acessibilidade e preservação dos espécimens.

Classificação

O edifício não se encontra classificado, mas encontra-se integrado numa Zona Especial de Protecção desde 1996 (DR (I Série-B), n.º 228, de 01-10-1996, portaria n.º 529/96), como de resto toda a área dos Museus da Politécnica. Deve, porém, sublinhar-se que o Jardim Botânico já se encontra classificado como Monumento Nacional (Decreto nº 18/2010, DR, nº 250 de 28 de Dezembro de 2010).

Bibliografia

Nada a acrescentar.



Autor: Marta C. Lourenço, com o apoio de Margarida Jardim (MNHN) e José Cardoso (MNHN) [2007]

Levantamento do Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa:

Edíficio dos Herbários

Pelo Grupo de Trabalho constituído por Marta Lourenço, Ana Mehnert Pascoal e Catarina Teixeira

Logo-Levantamento-Patrimonio-UL.png
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções
Navegação
Ferramentas