Herbário de Portugal (Herbário de A.X. Pereira Coutinho) (séc. XIX-presente)

Da Memória da Universidade

Ir para: navegação, pesquisa
Exemplar do Herbário de Portugal (Foto: A. I. D. Correia, cortesia Jardim Botânico/MNHN)

Herbário de Portugal (Herbário de A.X. Pereira Coutinho) (séc. XIX-presente). Local.: Museu Nacional de História Natural. URL: http://www.mnhnc.ul.pt/portal/page?_pageid=418,1391281&_dad=portal&_schema=PORTAL. Tutela: Departamento de Botânica do Museu Nacional de História Natural. Cobertura: Séc. XIX-presente. Dimensão:c. 31 mil exemplares (de um total de 250 mil espécimes dos Herbários do Jardim Botânico). Assunto: Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa.

Enquadramento institucional e legal

O Museu Nacional de História Natural é referido nos recentes Estatutos da Universidade de Lisboa (2008) no Artigo 3º do Anexo, como Unidade da Universidade de Lisboa mas ainda não sofreu revisão estatutária. O Museu Nacional de História Natural é referido nos Estatutos da Universidade de Lisboa (Despacho Normativo nº 144/92). Os Herbários não são referidos explicitamente no Estatuto do Museu Nacional de História Natural (Despacho nº 11002/2003), embora se mencione o Departamento de Botânica do Museu (que coincide com o Jardim Botânico).

Na UL desde

1911.

Nota Descritiva e Histórica

A seguir a um primeiro trabalho sobre Quercus de Portugal (1888), António Xavier Pereira Coutinho (1851-1939) continuou a estudar intensa e sistematicamente, do ponto de vista taxonómico, a flora do nosso país. Esse trabalho culminou com a publicação, em 1913, da Flora de Portugal. O Herbário de Portugal foi iniciado por Pereira Coutinho, reúne os espécimes recolhidos durante esse seu trabalho, depois continuado por si e outros botânicos, naturalistas e investigadores durante o século XX. Trata-se de um Herbário que contém cerca de 31 mil exemplares da flora de Portugal continental. Pretendendo a representatividade de todas as espécies nativas portuguesas, o Herbário está em crescimento, sendo continuamente enriquecido com novos exemplares, seja em resultado de trabalhos de investigação, seja por permutas, doações ou legados. O Herbário Português inclui cerca de 3000 exemplares de plantas do Alqueva, recolhidas para referência científica antes do enchimento da albufeira da barragem (e que complementa o Banco de Sementes igualmente proveniente do Alqueva existente no Jardim). O Herbário encontra-se organizado taxonomicamente e possui um número não determinado de tipos (da ordem das centenas).

Relevância

O Herbário de Portugal é um herbário de referência para a flora portuguesa, tendo particular importância por se encontrar no Museu Nacional de História Natural. Trata-se, assim, de um arquivo da biodiversidade botânica, em particular a de Portugal. Muitas espécies representadas encontram-se em perigo de extinção ou estão já extintas. A sua relevância é científica.

Utilização

É regularmente utilizado para a investigação em taxonomia e sistemática botânicas, para estudos de distribuição florística, conservação da natureza e ordenamento do território. O Herbário de Portugal também é utilizado para o ensino por estudantes da Faculdade de Ciências (licenciatura em Biologia e outras), bem como de outras universidades portuguesas. Como herbário de referência, é igualmente utilizado para a validação da identificação de espécimes. Neste Herbário encontram-se exemplares validantes da investigação sobre produtos de origem vegetal resultante de projectos realizados na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa e Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (i.e., os exemplares, após estudados nas suas componentes químicas, são depositados neste Herbário).

Estado do inventário

O Herbário Português encontra-se catalogado em suporte de papel.

Documentação

Num herbário científico, a documentação é de primordial importância pois sem esta a colecção não tem valor. No caso deste Herbário, a documentação relativa aos espécimes encontra-se junto com o próprio exemplar, no interior da respectiva capa. Para além desta documentação, existe um conjunto de documentos, de natureza mais geral e institucional (correspondência científica e administrativa, notas pessoais, desenhos e ilustrações, etc).

Pessoal

À excepção dos Herbários de Criptogamia, os Herbários do Jardim Botânico estão a cargo de Ana Isabel D. Correia.

Bibliografia

Cabral, J. P. 2007. A fundação da Botânica Moderna em Portugal – Júlio Henriques, A. X. Pereira Coutinho E Gonçalo Sampaio. Departamento de Botânica da Universidade de Coimbra. Memórias da Sociedade Broteriana, vol. XXXIII, 258 p. Coutinho, A. X. P. 1939. Flora de Portugal (Plantas Vasculares). 2ª ed. Bertrand Irmãos Lda, Lisboa.

Melo, I. 1987. A evolução da botânica no Museu Nacional de História Natural. In F.B. Gil & M.G.S. Canelhas (coord.). Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Passado, Presente, Perspectivas Futuras, pp. 271-289. FCUL, Lisboa.

Silva, A. R. 1989. A Flora da Serra de Sintra. Catálogo. Portug. Acta Biol. (B) 15: 5-258.

Tavares, C. N. 1967. Jardim Botânico da Faculdade de Ciências de Lisboa. Guia. Imprensa Portuguesa, Porto.




Autor: Marta C. Lourenço, com o apoio de Ana Isabel D. Correia (MNHN) e Alexandra Escudeiro (MNHN) [2007; actualizada em 2010]

Levantamento do Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa:

Herbário de Portugal (Herbário de A.X. Pereira Coutinho) (séc. XIX-presente)

Pelo Grupo de Trabalho constituído por Marta Lourenço, Ana Mehnert Pascoal e Catarina Teixeira

Logo-Levantamento-Patrimonio-UL.png
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções
Navegação
Ferramentas