Biblioteca Histórica do Observatório Astronómico de Lisboa (séc. XV-XX)

Da Memória da Universidade

Ir para: navegação, pesquisa
Cosmographia Petri Apiani, 1551. (Cortesia OAL)

Biblioteca Histórica do Observatório Astronómico de Lisboa (séc. XV-XX). Local.: Observatório Astronómico de Lisboa. URL: http://www.oal.ul.pt/. Tutela: Observatório Astronómico de Lisboa. Cobertura: Séculos XV-XX. Dimensão:13.500 volumes. Assunto: Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa.

Enquadramento institucional e legal

Na UL desde 1995, o OAL possui Regulamento próprio e a preservação, estudo e divulgação do seu património estão consignados no artigo 2º.

Data

Do século XV (a Biblioteca histórica possui um incunábulo) até ao século XX (nota: a Biblioteca continua a fazer aquisições relevantes para a investigação em astronomia e astrofísica contemporâneas que foram deixados de fora deste levantamento).

Nota descritiva e histórica

A Biblioteca do Observatório Astronómico de Lisboa nasceu com a própria instituição (edificada entre 1861-67) e a sua evolução tem acompanhado as transformações desta. A preocupação de constituir colecções o mais completas possível que possam abarcar as áreas vastas de literatura das ciências astronómicas, obras afins e auxiliares, tornou a Biblioteca do Observatório Astronómico a mais rica, pelos seus fundos, no panorama nacional. A Biblioteca, nas suas obras e publicações periódicas, é representada pelas línguas latim, alemão, francês, russo, inglês, italiano, polaco, checo, romeno, português, árabe, grego. Os fundos, na sua maioria, reflectem o estado da arte da ciência do mundo no século XIX. A Biblioteca do OAL alberga as obras dos grandes nomes das ciências astronómicas e afins, tais como Bessel, Olbers, Gauss, Encke, Struve, La Lande, Baron Zach, Herschel, Faye, Laplace, Newton, J. Casssini, Airy, Struve, Peters, Huygens, l'abbé de Lacaille, Euler, Delambre, Biot e muitos outros. As Memórias, Comentários das Academias e Associações Científicas internacionais, Publicações e Contribuições de Observatórios Astronómicos de toda a parte do mundo (Africa, Ásia, Europa e EUA) integram os fundos da Biblioteca. Uma ampla colecção de atlas, cartas celestes antigas e recentes enriquecem as colecções. É de referir a primeira edição do Atlas coelestis de John Flamsteed (1646-1719), o Magnetischer Atlas de C. Hansteen (1784-1873), o Atlas photographique de la lune (1896); obras relacionadas com os instrumentos do tempo. Merece uma atenção especial a colecção das publicações periódicas, alguns dos quais são anteriores à própria instituição e reflectem a evolução da Astronomia. Incluem assinaturas raras como Astronomische Nachrichten, fundado por H.C. Schumacher, em 1821, que a Biblioteca possui desde o primeiro número; o Monthly Notices of the Royal Astronomical Society (1847-). Merecem ainda particular atenção as obras de valor artístico, como plantas arquitectónicas de vários Observatórios Astronómicos de Europa com as respectivas memórias descritivas.

Relevância

O Observatório Astronómico de Lisboa foi desde sempre o observatório nacional pelo que a sua biblioteca é de referência para a astronomia e ciências afins (geometria, geodesia, etc). A sua relevância hoje é sobretudo para a história destas ciências mas provavelmente será a biblioteca mais importante do país, sobretudo se considerada em complementaridade com a biblioteca do Museu de Ciência, que inclui o espólio bibliográfico do Observatório Astronómico da Escola Politécnica (séc. XIX).

Estado do inventário

A Biblioteca está catalogada e parcialmente integrada no SIBUL.

Acessibilidade

A Biblioteca encontra-se acessível fisicamente no local e online no SIBULdesde 2002 (carregamento em curso). Destina-se sobretudo a estudantes de pós-graduação.

Pessoal

1 funcionária com contrato a prazo (3 anos) para a Biblioteca e Arquivo Histórico. Formação em BAD, especialização Bibliotecas.

Bibliografia

2002 - Roteiro bibliográfico e documentos de arquivo, dedicado à celebração dos 100 anos do Prémio Valz, atribuído pela Academia das Ciências de Paris, ao eminente astrónomo português, o segundo Director do OAL, C.A. de Campos Rodrigues (1836-1919). 2005 - Eclipse anular solar de 3 de Outubro de 2005: documentos do arquivo/ biblioteca. Relatório de actividades de 2003/ 2004; 2004/2005; 2005/2006.



Autor: Marta C. Lourenço, com a colaboração de Halima Naimova (OAL) [2007]

Levantamento do Património Histórico, Científico e Artístico da Universidade de Lisboa:

Biblioteca Histórica do Observatório Astronómico de Lisboa (séc. XV-XX)

Pelo Grupo de Trabalho constituído por Marta Lourenço, Ana Mehnert Pascoal e Catarina Teixeira

Logo-Levantamento-Patrimonio-UL.png
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Acções
Navegação
Ferramentas